Please use this identifier to cite or link to this item: http://localhost:8080/jspui/handle/123456789/1833
Title: COISAS DIFÍCEIS DE DIZER: AS MANIFESTAÇÕES HOMOFÓBICAS DO COTIDIANO DOS JOVENS
Authors: DAMASCENO, Maria Nobre
LOIOLA, Luis Palhano
Keywords: HOMOSSEXUALIDADE;HOMOFOBIA;COTIDIANO;JUVENTUDE
Issue Date: 2001
Publisher: UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ
Abstract: COISAS DIFÍCEIS DE DIZER É O ESTUDO DAS MANIFESTAÇÕES, DISCURSIVAS E/OU COMPORTAMENTAIS, DOS JOVENS EM RELAÇÃO À SEXUALIDADE HUMANA, ESPECIALMENTE, ÀQUELAS REFERENTES À HOMOSSEXUALIDADE SOB O CRIVO DO PRECONCEITO, DA DISCRIMINAÇÃO E DOS ESTEREÓTIPOS - AS MANIFESTAÇÕES HOMOFÓBICAS DO COTIDIANO DOS JOVENS. ESTE TRABALHO PRIVILEGIA OS ESPAÇOS VIVIDOS PELOS JOVENS NO GRUPO ESTUDANTIL, NO GRUPO RELIGIOSO, NO GRUPO CULTURAL E NO GRUPO POLÍTICO, PARA DESENVOLVER A FORMA COMO ESTES SUJEITOS COMPREENDEM OS SABERES SOBRE A SEXUALIDADE E OS SIGNIFICADOS E SENTIDOS ATRIBUÍDOS EM SUAS RELAÇÕES SOCIAIS A PARTIR DESTES CONHECIMENTOS, BEM COMO, A PRODUÇÃO E A REPRODUÇÃO DA HOMOFOBIA. NESTA PERPSPECTIVA, O PROCESSO METODOLÓGICO DE COLETA DE DADOS É COMPOSTO DE: QUESTIONÁRIO DE CARACTERIZAÇÃO DE PERFIL DOS JOVENS; OBSERVAÇÕES NOS ESPAÇOS VIVIDOS PELOS JOVENS, COM A UTILIZAÇÃO DO DIÁRIO DE CAMPO PARA AS ANOTAÇÕES; DISCUSSÕES A PARTIR DA REPORTAGEM EXTRAÍDA DA REVISTA ISTO É ("O AMOR QUE AMEAÇA"); SESSÕES DE FILMES (MINHA VIDA EM COR DE ROSA E DELICADA ATRAÇÃO), COM DEBATES APÓS O TAPE E ENTREVISTAS INDIVIDUAIS AO GRUPO ESTUDANTIL. TORNA-SE, ENTÃO, NUM GRANDE DEBATE COM OS JOVENS, ESTES REVELAM EM SEUS DISCURSOS, COMO OS SABERES SOCIALIZADOS PELAS INSTITUIÇÕES RESPONSÁVEIS PELO REPASSE DOS CONHECIMENTOS SISTEMATIZADOS PELA HUMANIDADE (A FAMÍLIA, A IGREJA E A ESCOLA) TÊM CONTRIBUÍDO, PARA A REPRODUÇÃO DA HOMOFOBIA. ISSO FAZ COM QUE O CONTEXTO VIVIDO POR ELES SEJA MUITO CONTRADITÓRIO: ENQUANTO ALGUNS NEGAM A HOMOSSEXUALIDADE COMO UMA EXPRESSÃO SEXUAL DA SATISFAÇÃO DE DESEJOS SINGULARES; OUTROS CONCORDAM COM AS DIVERSAS FORMAS DE PRAZER E AMAR. TODAVIA, É MUITO DIFÍCIL O ASSUMIR-SE DE UMA IDENTIDADE SEXUAL (TANTO À HOMOSSEXUALIDADE QUENTO À HETEROSSEXUALIDADE), A NORMALIDADE EXIGIDA IMPÕE CONDUTAS, ÀS VEZES, MUITO DIFÍCEIS. FRENTE À COMPLEXIDADE VIVIDA NO COTIDIANO, ENTRE DISCURSOS DE ACEITAÇÃO E DE REJEIÇÃO À HOMOSSEXUALIDADE, OS JOVENS SENTEM-SE CONFUSOSE INIBIDOS, ESPECIALMENTE NO GRUPO ESTUDANTIL, POIS OS ESPAÇOS MAIS CASTRADORES E/OU INIBIDORES PARA A DISCUSSÃO SÃO OS ESPAÇOS DA ESCOLA. DE CERTO MODO A PRODUÇÃO E A REPRODUÇÃO DA HOMOFOBIA OCORRE DE MODOS DIVERSOS NOS ESPAÇOS VIVIDOS PELOS JOVENS EM NOSSA SOCIEDADE. PORÉM, ESTES SUJEITOS, NO GRUPO ORGANIZADO, ESPECIALMENTE O POLÍTICO E O CULTURAL, BUSCAM A DESFAMILIARIZAÇÃO DA HOMOFOBIA, IMPRIMINDO, EM SEUS DISCURSOS E NAS RELAÇÕES ENTRE PARES, UMA OUTRA ORIENTAÇÃO - DA ACEITAÇÃO PLENA DAS EXPRESSÕES SEXUAIS, MUITO EMBORA ESTAS MANIFESTAÇÕES AINDA SE APRESENTEM MUITO TÍMIDAS.
Description: HUMANIDADES/UFC
URI: http://www.bdae.org.br/dspace/handle/123456789/1833
Other Identifiers: Mestrado
EDUCAÇÃO
EXCLUSIVO
Appears in Collections:Jovens, Sexualidade e Gênero

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese.pdf657.59 kBAdobe PDFView/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

Admin Tools