Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/123456789/1015
Título: MIGRAÇÃO: TRABALHO E EDUCAÇÃO - NA PERSPECTIVA DE PAIS E FILHOS MIGRANTES
Autor(es): NOZAKI, Izumi
DALSICO, Arali Maiza Parma
Palavras-chave: MIGRAÇÃO;TRABALHO;EDUCAÇÃO
Data do documento: 2002
Editor: UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO
Resumo: CASA BRANCA É UMA VILA SITUADA NO MUNICÍPIO DE XAMBRÊ, NA REGIÃO OESTE DO ESTADO DO PARANÁ, FUNDADA NO ANO DE 1961 POR MIGRANTES DE OUTRAS CIDADES DO ESTADO E DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO. ALGUMAS FAMÍLIAS DE AGRICULTORES MUDARAM PARA A VILA E ABRIRAM PEQUENOS COMÉRCIOS, QUE DEPENDIAM DA POPULAÇÃO RURAL AO REDOR. EM TERMOS EDUCACIONAIS, OS JOVENS E ADULTOS DA VILA DE CASA BRANCA TINHAM ACESSO À ESCOLARIDADE APENAS ATÉ A 8ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL, SENDO ESTE FATO UM DOS MOTIVOS PELOS QUAIS AS FAMÍLIAS MIGRARAM PARA OS MUNICÍPIOS DE CUIABÁ E VÁRZEA GRANDE, NO ESTADO DE MATO GROSSO, ENTRE OS ANOS DE 1977 A 1989. AO MIGRAREM PARA MATO GROSSO, EM PLENA FASE DE EXPANSÃO DO SISTEMA EDUCACIONAL, ESTAS FAMÍLIAS ENCONTRARAM A POSSIBILIDADE DE DAR CONTINUIDADE AOS ESTUDOS, PORÉM, NÃO USUFRUÍRAM DESSE ACESSO. AS QUESTÕES QUE SE LEVANTAM NESTE SENTIDO SÃO: O QUE OCORREU PARA QUE ESTES JOVENS E ADULTOS NÃO TENHAM CONTINUADO À ESCOLARIDADE DE NÍVEL MÉDIO E SUPERIOR APÓS A MIGRAÇÃO? QUE LUGAR A EDUCAÇÃO OCUPA NA VIDA DESTES JOVENS E ADULTOS MIGRANTES, HOJE? O PRESENTE TRABALHO TEVE POR OBJETIVO COMPREENDER COMO O FILHO ADULTO MIGRANTE, DIFERENTEMENTE DE SEU PAI, NOS TEMPOS ATUAIS, SE POSICIONA E SE MANTÉM NO MERCADO DE TRABALHO SEM A EDUCAÇÃO FORMAL ELEVADA. ESPECIFICAMENTE, ANALISAR AS RAZÕES QUE IMPULSIONARAM AS FAMÍLIAS A MIGRAR; AS CAUSAS QUE JUSTIFICAM A NÃO CONTINUIDADE DOS ESTUDOS POR PAIS E FILHOS APÓS A MIGRAÇÃO; COMPARAR A VIDA PROFISSIONAL DOS PAIS E DOS FILHOS APÓS A MIGRAÇÃO E ANALISAR, NA VISÃO DE PAIS E FILHOS, O SENTIDO DA EDUCAÇÃO PARA A PERMANÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO. PARA TANTO, FORAM REALIZADAS ENTREVISTAS COM 9 FAMÍLIAS DE MIGRANTES E O ESTUDO REVELOU QUE: A) OS PAIS INTERROMPERAM OS ESTUDOS PORQUE MORAVAM NA ZONA RURAL, NÃO TENDO ACESSO À ESCOLA, E OS FILHOS, EM SUA MAIORIA, INTERROMPERAM OS ESTUDOS PARA TRABALHAR, MESMO TENDO ACESSO À ESCOLA; B) A OPINIÃO DE PAIS E FILHOS É SEMELHANTE E PARA AMBOS É PRECISO ESTUDAR PARA "SER ALGUÉM NA VIDA"; C) O ACESSO À EDUCAÇÃO NÃO FOI UM FATOR PREPONDERANTE À MIGRAÇÃO E NEM TÃO POUCO É MOTIVO DE PERMANÊNCIA DO MIGRANTE NA CIDADE DE DESTINO; D) O SENTIDO DA EDUCAÇÃO VARIA CONFORME O MODO COMO O SUJEITO A VÊ NO TEMPO (PRESENTE, PASSADO E FUTURO) E O VALOR ATRIBUÍDO AO TRABALHO QUE O SUJEITO EDUCADO TORNA-SE CAPAZ DE REALIZAR. CONCLUI-SE, DESTE MODO, QUE O TRABALHO É UM ASPECTO VITAL AO SUJEITO E A EDUCAÇÃO É SECUNDÁRIA, PODENDO SER POSTERGADA OU ABANDONADA EM RAZÃO DA FALTA DE INTERESSE, DO TRABALHO E DO CASAMENTO, MAS A EDUCAÇÃO TORNA-SE VITAL QUANDO PÕE EM RISCO A PERMANÊNCIA DO SUJEITO NO MERCADO DE TRABALHO E O VALOR DADO À EDUCAÇÃO FORMAL VARIA DE ACORDO COM O PAPEL QUE O SUJEITO OCUPA NA SOCIEDADE. ASSIM, A VALORAÇÃO DA EDUCAÇÃO PELOS SUJEITOS DEPENDE DAS CONDIÇÕES DE SUA SUBSISTÊNCIA NO MEIO, ISTO É, QUANTO MAIS O MEIO A REQUISITÁ-LA, A EDUCAÇÃO SERÁ CONSIDERADA IMPORTANTE E PRIORITÁRIA.
Descrição: CETEDE - CENTRO DE TECNOLOGIAS E DOCUMENTAÇÃO EDUCACIONAIS
URI: http://www.bdae.org.br/dspace/handle/123456789/1015
Outros identificadores: Mestrado
EDUCAÇÃO
MISTO
Aparece nas coleções:Juventude e Trabalho

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese.pdf652.33 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.

Ferramentas do administrador