Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://hdl.handle.net/123456789/525
Título: A dimensão educativa da mística na luta política do Movimento dos Sem Terra - MST
Autor(es): BATISTA, Maria do Socorro Xavier
LIMA, Joselita Ferreira de
Palavras-chave: EDUCAÇÃO NO CAMPO;EDUCAÇÃO POPULAR;MOVIMENTOS SOCIAIS
Data do documento: 2003
Editor: Universidade Federal da Paraíba. Programa de Pós-Graduação em Educação
Resumo: O trabalho de dissertação tem como objetivo de pesquisa a análise da "dimensão educativa da mística na luta política do Movimento dos Sem Terra - MST". Para tanto, foi utilizada como metodologia a pesquisa qualitativa e como instrumento a entrevista em profundidade. A discussão e análise sobre o referido tema realiza-se através dos quatro capítulos que constituem o presente trabalho. No primeiro capítulo busca-se apresentar o contexto científico, político, pessoal, social e histórico que referendam o objeto de estudo pesquisado, a opção metodológica adotada, assim como o marco teórico referência. No segundo capítulo, são apresentados os fatores históricos, políticos e culturais que impulsionaram o surgimento do MST. Assim como um breve relato histórico da trajetória do movimento, considerando o contexto sócio-político na elaboração de suas estratégias e reordenação de suas ações, estrutura organizativa e perspectivas atuais. No terceiro capítulo, trabalha-se a definição, a origem e a dimensão educativa da mística no MST, que se dá através dos espaços formais das ""celebrações místicas"" (utilizando-se recursos da arte como a dramatização, poesia, pintura, música entre outros), assim como dos espaços não-formais, como acampamentos, marchas, mobilizações... nesses espaços formais e não-formais, a mística apresenta-se como uma forma de educação popular, por envolver seus princípios, como a conscientização política, o respeito à realidade objetiva e subjetiva dos educandos e a perspectiva do engajamento na transformação social, bem como a potencialização do cotidiano como espaço educativo. No capítulo iv, a mística é apresentada mais diretamente como uma perspectiva de transformação das estruturas sociais, como luta contra o capitalismo e a cultura que o produziu e o reproduz. Nesse sentido, a mística apresenta-se como contribuição à construção de uma cultura contra-hegemônica e os movimentos sociais, mais particularmente o mst, como espaço de afirmação cidadã dos sujeitos subaltenizados. A partir do presente estudo foi possível observar que a mística no mst apresenta-se mais como uma perspectiva comunitária que individual, e tem como objetivo principal, não a transcendência metafísica, mas a combatividade política. A mística também se apresenta como uma educação popular que integra a subjetividade e a racionalidade, potencializando todos os sentidos humanos através da arte, na conscientização política que impulsiona o engajamento.
Descrição: Depositária: Biblioteca de Pós-Graduação em Educação
URI: http://www.bdae.org.br/dspace/handle/123456789/525
Aparece nas coleções:Educação no Campo

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este arquivo é protegido por direitos autorais



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.

Ferramentas do administrador