Please use this identifier to cite or link to this item: http://localhost:8080/jspui/handle/123456789/1344
Title: A VOZ DA CRIANÇA INSTITUCIONALIZADA: REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE FAMÍLIA E ABRIGO
Authors: ANDRADE, Maria ângela Rodrigues Alves De
PEREIRA, Eliane Vecchi
Keywords: CRIANÇAS;ADOLESCENTES;ABRIGO;FAMÍLIA;POLÍTICAS PÚBLICAS
Issue Date: 2006
Publisher: UNESP - FRANCA
Abstract: ENORME CONTINGENTE DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES VIVE HOJE EM ALGUMA INSTITUIÇÃO DE ABRIGO, LONGE DO CONVÍVIO FAMILIAR, DEFLAGRANDO MAIS UMA VEZ A GRANDE LACUNA EXISTENTE ENTRE AS LEGISLAÇÕES BRASILEIRAS E A REALIDADE. SENDO RETIRADAS DE SEUS FAMILIARES, QUER PELA CONDIÇÃO DE EXTREMA MISÉRIA, QUER PELO ABUSO INDISCRIMINADO DO PODER FAMILIAR QUE VITIMIZA SUAS PROLES COM TODA SORTE DE VIOLÊNCIA, CRIANÇAS E ADOLESCENTES SÃO ENVIADAS PARA ABRIGOS, COMO MEDIDA DE PROTEÇÃO. DO CARÁTER EXCEPCIONAL E PROVISÓRIO O QUE PRESENCIAMOS SÃO ABRIGAMENTOS REALIZADOS DE FORMA CORRIQUEIRA, NUMA ATITUDE COMUM E INFELIZMENTE, EM MUITOS CASOS, POR LONGOS PERÍODOS OU MESMO ATÉ QUE ATINJAM MAIORIDADE PERANTE A LEI. AS RELAÇÕES SOCIAIS DESSAS CRIANÇAS COM A INSTITUIÇÃO FAMÍLIA E COM A COMUNIDADE, TRANSFORMAM-SE RADICALMENTE. PASSAM A SER ?FILHOS DE NINGUÉM?, VIVENDO COM MAIS TANTOS POR ALGUNS DIAS, MESES OU LONGOS ANOS. NO SENTIDO DE APROFUNDAR CONHECIMENTO ACERCA DO UNIVERSO DO ABRIGO, O ESTUDO PROPOSTO TEVE COMO OBJETIVO CONHECER AS INSTITUIÇÕES ABRIGO E FAMÍLIA ATRAVÉS DAS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES INSTITUCIONALIZADOS, NA CIDADE DE RIBEIRÃO PRETO ? SP, CONTRIBUINDO PARA MAIOR ENTENDIMENTO SOBRE O UNIVERSO DA INSTITUCIONALIZAÇÃO. TENDO COMO ABORDAGEM METODOLÓTICA A PESQUISA QUALITATIVA, UTILIZAMOS COM FORMA DE COLETA DE DADOS A TÉCNICA DE ENTREVISTA SEMI-ESTRUTURADA E DESENHOS PRODUZIDOS PELAS CRIANÇAS E ADOLESCENTES ABRIGADOS, SUJEITOS DESSE ESTUDO. ATRAVÉS DAS CATEGORIAS EMPÍRICAS, COMO: A FAMÍLIA PARA MIM; SENTIMENTOS DE CULPA; O ABRIGO ACOLHE A GENTE; A AMIZADE SOLITÁRIA; MEUS IRMÃOS ME DÃO FORÇA; O VALOR DO TRABALHO; NÃO QUERO ISSO PARA MEU FILHO E O MEU MAIOR DESEJO, CONSTATAMOS QUE AS REPRESENTAÇÕES SOCIAIS SOBRE A FAMÍLIA SE CONSTROEM A PARTIR DE ELEMENTOS CONTRADITÓRIOS ENTRE A VIVÊNCIA E A NEGAÇÃO DA VIOLÊNCIA; A IDEALIZAÇÃO DAS FIGURAS FAMILIARES AUSENTES E O DESEJO DE NÃO REPRODUZIREM A MESMA VIOLÊNCIA SOFRIDA COM OS SEUS FUTUROS FILHOS. QUANTO AO ABRIGO, A INSTITUIÇÃO APARECE TANTO COMO PROTEÇÃO, TANTO COMO ESPAÇO DE REVITIMIZAÇÃO, ATRAVÉS DA VIOLÊNCIA INSTITUCIONAL. CONCLUINDO, RESSALTAMOS QUE A PESQUISA OFERECE AO SERVIÇO SOCIAL ASPECTOS IMPORTANTES SOBRE A INSTITUCIONALIZAÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES QUE CONTRIBUIRÃO PARA UM ATENDIMENTO MAIS ASSERTIVO E EFETIVO NO DESENVOLVIMENTO DE POLÍTICAS SOCIAIS DE ATENÇÃO A ESSA PARCELA DA POPULAÇÃO. O ESTUDO APONTA AINDA A NECESSIDADE DE UMA MUDANÇA DE PARADIGMA NO TRATO DA VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, NÃO TENDO MAIS A CRIANÇA E O ADOLESCENTE COMO FOCO CENTRAL DAS POLÍTICAS SOCIAIS DIRECIONADAS A PROBLEMÁTICA DA VIOLÊNCIA, MAS A FAMÍLIA. O CONTEXTO FAMILIAR, AO SER PRIVILEGIADO NAS AÇÕES DE UMA REDE DE PROTEÇÃO, TANTO BÁSICA COMO ESPECIAL, PROPORCIONARÁ MAIOR POSSIBILIDADE DE EFETIVAÇÃO NA GARANTIA DO DIREITO PRIMORDIAL DA CRIANÇA E ADOLESCENTE DE CONVIVER EM FAMÍLIA.
Description: FHDSS
URI: http://www.bdae.org.br/dspace/handle/123456789/1344
Other Identifiers: Doutorado
SERVIÇO SOCIAL
MISTO
Appears in Collections:Adolescentes em Processo de Exclusão Social

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.

Admin Tools